quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O melhor plano de saúde é viver...

"Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão", frase de Fernando Pessoa no texto Encerrando Ciclos. E é isso que eu quero registrar hoje. Um lindo ciclo que está se encerrando para que um mais lindo ainda possa iniciar. Um ciclo de aprendizados, crescimento, mudanças e de muito amor.

Hoje eu encerrei um capítulo da minha vida, que fez toda a diferença pra pessoa que eu sou hoje e pro caminho que eu escolhi traçar a partir de agora. Eu escutei algumas coisas hoje que me fizeram sentir um pouco sobre tudo o que eu vivi nos 4 anos deste ciclo. A pessoa que eu fui, a pessoa que se transformou e a pessoa que eu sou hoje. As prioridades que eu tinha, o caminho que eu construia, a forma como eu me enxergava e a forma como eu enxergava os outros.

Eu aprendi muito sobre quem eu sou e sobre quem eu desejo ser só observando a reação que eu despertava nas pessoas. Não dá pra jogar só pro outro. Não dá pra dizer que não tem a ver comigo. Tem sim. Tinha sim. Eu demorei, mas eu vi e pude mudar. A transformação só pode acontecer (e pra melhor, por favor) se os olhos da realidade estiverem bem abertos.

Eu tive uma família me apoiando. Ora eu era mãe, ora filha, ora irmã, ora a madastra (sempre má), horas e horas... Eu tive mães, tive um pai (o mais protetor e instável, mas o melhor), tive amigos, tive companheiros, colegas e tive várias filhas. Eu conheci pessoas maravilhosas que vou carregar em meu coração para o resto da minha vida. Eu vi pessoas crescerem de forma singela e tão significativa. Eu vi pessoas com brilho nos olhos, fazendo as coisas acontecerem. Eu aprendi muito mais do que uma graduação em 5 anos de faculdade pode ensinar.

Eu aprendi sobre tolerância. Tolerar o outro, tolerar a mim mesma, tolerar a minha intolerância, e tolerar a intolerância do outro.
Eu aprendi sobre trabalho. Sobre trabalhar, e sobre descansar (às vezes é preciso aprender a descansar).
Eu aprendi sobre aprender. Aprender com o aprendiz, que tem muito mais para ensinar do que se imagina.
Eu aprendi a entender as entrelinhas, as megalinhas, as broncas, os conselhos, as indiretas. Porque elas as vezes expressam o que as pessoas nem sabem que querem dizer.
Eu aprendi sobre separar. Separar significou entender que nem sempre o que as coisas significam pra mim, vão também significar para o outro.
Eu aprendi sobre amar. Amar o que faço, amar o meu tempo para fazer o que amo, e amar o meu tempo para amar quem eu amo.
Eu aprendi a ter coragem. Coragem para continuar, para parar, para voltar atrás, e coragem para mudar...

"As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora..."
você nunca vai saber o que a próxima porta te reserva, se não tiver coragem e curiosidade para abrí-la.

Obrigada a todos aqueles que fizeram parte desta história linda da minha vida que eu vou ter muito orgulho de carregar comigo e contar pra Giulia. Afinal, ela esteve lá o tempo todo comigo.
Se vocês lerem isso aqui, vão saber que é pra vocês. E dispensa mais comentários.

2 comentários:

  1. Que Deus abençoe nessa proxima porta.....

    ResponderExcluir
  2. Vc esta fazendo falta...

    ResponderExcluir